Scroll Top

Terapeuta Ensina Potencializar Seu Relacionamento – É Grátis!

Menopausa ou Climatério? Amenize os Efeitos Colaterais.

A maior comunidade para Sugar Daddy e Sugar Baby do Brasil

Menopausa ou Climatério? Amenize os Efeitos Colaterais.

Menopausa ou Climatério? Amenize os Efeitos Colaterais.

Existem muitos erros cometidos popularmente quando o assunto é voltado para o corpo humano e, principalmente, a sexualidade. Coisas básicas como menstruação, menopausa e climatério são alvos de grandes equívocos por parte da sabedoria do povo.

Um dos grandes erros é a confusão que fazem entre menopausa e climatério. O que seria cada um dos dois? Bem, geralmente dizem que o primeiro é aquela época em que a mulher para de menstruar e perde a fertilidade, com vários sintomas que podem incomodar bastante.

E climatério? Pois é. Muitas mulheres nunca nem ouviram falar nisso. O fato é que esse é o nome dado para o período de transição entre o período reprodutivo e o infértil no corpo da mulher. Um espaço de tempo que vem acompanhado com vários sintomas e efeitos que podem ser bem inconvenientes.

O QUE É REALMENTE A MENOPAUSA?

É simplesmente a última menstruação da mulher, nada mais que isso. É algo que ocorre, na maioria dos casos, entre a faixa dos 45 e 55 anos, mas que também acontece antes. Alguns chamam esse último caso de menopausa precoce.

Outra curiosidade acerca da menopausa é que ela não possui sintomas claros. Tanto é que só depois de algum tempo sem menstruar que a mulher pode ser diagnosticada, mais precisamente depois de 12 meses.

Como já disse, esses efeitos colaterais, os sintomas tão falados e atribuídos à menopausa, são frutos do climatério.

No período anterior à menopausa, o corpo da mulher já vai passando por mudanças consideráveis, como a diminuição do fluxo na menstruação. Elas vêm mais escassas. As mulheres que tinham um fluxo menstrual muito forte irão perceber claramente essas mudanças.

Sem falar que elas ficarão muito mais irregulares. Às vezes a mulher pode passar dois meses sem menstruar e depois voltar ao normal. Por isso que o diagnóstico só pode ser consolidado após um período de 12 meses.

Mas vamos dar nome aos bois. Do que é que tantas mulheres que vão chegando à casa dos 40 têm medo? Para começar, elas já devem ter ouvido falar das manifestações urogenitais, com ter que fazer muito esforço para urinar e sentir dor quando conseguir. Como consequência, as mulheres passam um bom tempo sem urinar, o que facilita a ocorrência de infecções.

Porém, o contrário pode acontecer. Como os músculos vaginais nessa época tendem a ficar ressecados e atrofiados, a mulher também pode sofrer com a incontinência urinária. Sem falar que o ressecamento provoca dor nas penetrações e uma libido muito mais baixa.

Quem dera se fossem apena esses sintomas… Os hormônios também tem sua parcela de participação. O estrógeno e a progesterona são reduzidos e isso interfere na liberação de neurotransmissores que são muito importantes para que tudo funcione perfeitamente no nosso SNC, o Sistema Nervoso Central. E você não poderia esperar coisa pior.

Irritabilidade, sensibilidade emocional, choro sem motivo, depressão, ansiedade, insônia, enfim, todo esse pacotinho de sensações e emoções indesejadas chega até a mulher.

Cabelos, pele, unhas? começam a perder o brilho e o vigor que a mulher tinha quando mais jovem. A mulher passa a desenvolver mais tecidos gordurosos nos locais em que ela nunca quis ter, como as mamas e no abdômen. Também há o aumento de risco de doenças cardiovasculares.

Por fim, há as famosas ondas de calor que as mulheres sentem. O pescoço, as bochechas e o busto da mulher ficam quentes. Elas suam mais, ficam vermelhas e o coração palpita com mais vigor. Como contraponto, elas cansam mais fácil e apresentam fadiga muscular e vertigens.

Depois de ler tudo isso, você deve ter ficado assustada, não é mesmo? Pois saiba que essas coisas nem sempre acontecem e não é com todas as mulheres. Talvez você tenha um ou dois sintomas no climatério, mas com certeza existem casos intensos em que mulheres sofreram bastante.

Por isso que é bom manter uma vida saudável para que nessa época não se sofra tanto. Abusos de álcool e cigarros garante seu ônus no climatério, assim como sedentarismo e os abusos na alimentação. O recomendado nessa época é manter visitas regulares ao ginecologista.

LUTANDO DE IGUAL PARA IGUAL

Mas você também pode fazer uso de um adicional para enfrentar essa época. Se existe uma coisa que feita pode te livrar de dores e sofrimento, não hesite em realizar se isso não afetar ninguém negativamente. E como é que se luta de igual para igual contra esses sintomas? Uma palavra: pompoarismo.

Sim, os benefícios dessa prática te proporcionam uma garantia de saúde. Sintomas como as dificuldades ao urinar ou a incontinência urinária podem ser resolvidos ou, na verdade, nem aparecer. Já que você terá o controle absoluto dos músculos pélvicos.

Vagina ressecada, dor na penetração, falta de libido? Não. Nada disso acontecerá com quem sabe pompoar. Você continuará com sua vagina lubrificada, sangue circulando ativamente e com a vontade de transar lá em cima!

Queda da serotonina em função da interferência dos hormônios? Não mesmo. Isso será abrandado, além de fazer com que o corpo da mulher não apresente diferenças significativas como as citadas no tópico anterior. É claro que a mulher vai sentir a idade, mas não será com a mesma intensidade.

Sabendo pompoar, a chegada da menopausa não será dramática e você poderá continuar vivendo normalmente e com a mesma funcionalidade de sempre.

Aliás, as mulheres que mais se beneficiam com o pompoarismo estão perto, passando ou já passaram pela menopausa.

Quer experimentar os benefícios que você vai ter com o pompoarismo? Clique Aqui e Veja!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

    Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
    entre em contato com o suporte.