Scroll Top

Terapeuta Ensina Potencializar Seu Relacionamento – É Grátis!

Pornografia e Masturbação – Relato de uma mulher.

A maior comunidade para Sugar Daddy e Sugar Baby do Brasil

Pornografia e Masturbação

Pornografia e Masturbação

 

Esse artigo não será mais um a falar sobre o vício e a relação entre pornografia e masturbação ou outra coisa do tipo.

Vamos analisar o relato de uma leitora que não quis se identificar e que pode ajudar várias outras pessoas na busca pelo prazer máximo no sexo.

Talvez você esteja passando pelo mesmo problema sexual.

Vamos lá?

O Relato de Uma Leitora Sobre Pornografia e Masturbação.

 

“Olá Erika, eu acho melhor não me identificar. Apenas saiba que eu sou do Rio Grande do Sul e que venho acompanhando os seus textos com uma certa curiosidade. Acredito que a maior parte dessa curiosidade vem da minha fixação por sexo. Se as pessoas soubessem o que se passa na minha cabeça 24 horas por dia, diriam que eu sou uma ninfomaníaca, mas eu acho que para ser isso você precisa transar muito, o que eu não faço.

Eu comecei a minha vida sexual aos 15 anos, com o meu primeiro namorado. Era ótimo. Eu tinha bom condicionamento físico e ele também, então, graças a deus, passávamos horas transando. E com o passar do tempo essa minha vontade de sempre ir pra cama e ter vários orgasmos não saía da minha cabeça. Só que eu raramente sentia alguma coisa.

Quando eu me casei, aos 18 anos, era sexo todos os dias. Depois que eu me divorciei, aos 19, e comecei a namorar e a morar junto com o meu amigo, também fazíamos todos os dias. Na verdade eu estava dormindo às vezes e eu sentia algo estranho, era ele me acordando para transar. Eu achava o máximo. A gente fazia na rua, no carro, no banheiro público. Todo momento era o momento de ter um orgasmo, que inacreditavelmente, continuava raro.

Tenho que dizer que esse relacionamento foi desastroso. Logo acabamos e eu voltei a morar com a minha mãe. E como eu já tinha um filho do primeiro casamento, me deu uma canseira de sair por aí atrás de namorado ou de alguém para me relacionar. Eu simplesmente fiquei sem ninguém, sem sexo, sem nada.

E foi nesse período, no ano passado, que eu desenvolvi o que eu chamo de dependência de masturbação. O meu clitóris se tornou sagrado. Como eu era acostumada a transar várias vezes por dia, esse período de seca, que durou 6 meses, foi torturante. Eu me masturbava de 4 a 7 vezes por dia.

Meus braços eram muito forçados, meu pulso às vezes amanhecia dolorido. Mas eu não podia evitar. Eu tinha um tesão muito grande e eu tinha que soltar de alguma forma. Talvez eu ache que é por isso que não sou uma ninfomaníaca. Eu não saía por aí indo pra cama com estranhos. Apenas me masturbava em casa.

E então, como se masturbar já estava ficando sem graça, eu resolvi apimentar esse momento comigo mesma e passei a assistir vídeos pornôs na internet. Vi filmagens de todos os tipos, desde orgias em táxis, um cara que pagava a desconhecidas para transar com elas num local público, amigas que se pegavam no banheiro, enfim, todo o tipo de coisa que você encontra num site pornô. E isso acendeu a minha imaginação.

De repente chegou o momento em que meu clitóris estava doído e eu tive que apelar para o meu ponto G para poder ter um orgasmo. E foi aí que senti algo que nunca havia sentido em todas as minhas experiências sexuais. Eu me tremi toda quando o orgasmo chegou, minha visão ficou embaçada e eu não consegui controlar meus gemidos. Tudo se misturava na minha cabeça. As relações sexuais que eu já tive antes, as imagens dos vídeos pornôs e as fantasias que agora eu tinha e isso me levou a associar pornografia e masturbação.

Nova fixação: todos os dias eu me masturbava dessa forma e isso era o ponto alto do meu dia. Até que eu decidi ampliar esse prazer, transei com um amigo meu e hoje nós namoramos. Fazemos sexo com frequência, é claro, mas não consigo sentir a mesma coisa quando eu me masturbei. Na verdade eu fico até entediada no sexo. E não é culpa dele, eu não consigo ver nada de diferente no que ele faz e no que os meus outros parceiros já fizeram. A coisa é comigo mesmo.

Eu até pedi uma vez pra gente ver pornografia juntos e enquanto ele fazia um sexo oral em mim, eu assistia àquelas cenas e tinha um orgasmo maravilhoso. E quando a mesma coisa acontecia no quarto, só que sem o filme pornô, eu não sentia muita coisa. Ainda me masturbo todos os dias, pois essa é a única forma de eu sentir prazer. Meu namorado percebe a minha falta de interesse e ele já me pegou algumas vezes me tocando e sentindo muito prazer. A semente da discórdia foi plantada na cabeça dele.

Hoje a gente discute porque ele acha que não consegue me dar prazer e a autoestima dele fica lá embaixo, o que o faz ter ciúmes de tudo a minha volta.

Enfim, eu mandei esse relato apenas pra saber se eu tenho algum problema psicológico, se isso é uma fase ou qualquer outra coisa do tipo. Estou preocupada e queria muito ter um sexo normal com meu namorado.

Você pode ajudar?

 

Pornografia e masturbação

Pornografia e Masturbação – Relato de uma mulher.

 

PORNOGRAFIA E MASTURBAÇÃO ATRAPALHAM O SEXO?

 

O que existe de afirmações a respeito da pornografia e da masturbação não é brincadeira.

Uns dizem que faz mal, que é pecado, que dá ejaculação precoce no caso de homens, que te impede de sentir prazer no sexo.

Ou seja, um mundo de respostas que na maioria das vezes não estão corretas.

No seu caso, cara leitora, eu sugiro procurar um psicólogo ou sexólogo.

Acredito que em algumas sessões esse problema pode desaparecer.

Você, desde a adolescência, teve uma frequência muito alta de sexo.

E passou a morar junto com seu companheiro aos 18 anos de idade.

Agora imagine uma pessoa com os hormônios super em alta morando junto com o companheiro?

Muita liberdade, muito sexo.

E se vocês tinham química, o que é bem provável, essa vontade de ir para a cama direto é bem justificável.

Mas aí você teve que interromper essa rotina bruscamente e, graças ao seu pudor, passou meses sem transar com ninguém e se masturbando exageradamente.

Bem, acredito que o problema todo aqui foi a incapacidade e a falta de vontade em se abster dos excessos.

O que criou uma bola de neve que hoje você acha que não pode controlar.

pornografia e masturbação

Pornografia e masturbação

Talvez você mesma ache que só sentirá prazer se estiver se masturbando ou vendo pornografia, só porque depois de tantas experiências sexuais, foi numa situação consigo mesma que você chegou ao ápice do prazer.

Que tal pensar de forma diferente e não encarar o sexo como algo a ser feito e sim sentido?

A boa notícia é que isso tudo pode ir embora rapidamente.

Por isso, aconselho fortemente a procura de um terapeuta sexual, sexólogo, psicólogo e afins para te ajudar nessa.

Abraço.

Gostou do assunto pornografia e masturbação relatado por uma das leitoras?  Quer deixar seu relato também ou apenas fazer um comentário?

Compartilhe essa postagem, por favor. 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

2 Comentários

    Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
    entre em contato com o suporte.