Scroll Top

Terapeuta Ensina Potencializar Seu Relacionamento – É Grátis!

Você Sabe o que é o BDSM

A maior comunidade para Sugar Daddy e Sugar Baby do Brasil

Você Sabe o que é o BDSM

Você Sabe o que é o BDSM

Dentro do mundo do sexo existem coisas que você nem imagina. Ou imagina, mas fica com vergonha de falar sobre. Bem, aqui não é o lugar para você ficar com vergonha ou com medo de abordar esses assuntos. Aqui é o lugar para aprendermos mais sobre sexo, prazer humano e tudo o que estiver envolvido ao erotismo.

Portanto, hoje falaremos sobre algo muito polêmico que existe no submundo do sexo. Isso mesmo. Neste campo estão os prazeres nada convencionais, vistos por alguns com estranheza e bastante recriminação, mas que não ferem o direito e a dignidade de ninguém, diga-se de passagem.

Hoje é dia de tratar sobre o BDSM.

O QUE É BDSM?

BDSM é o acrônimo para Bondage, Disciplina, Dominação, Submissão, Sadismo e Masoquismo. Muita informação para a sua cabeça, não é mesmo? Não se preocupe, explicaremos um por um, não é difícil de entender.

E apesar de muitos destes nomes sugerirem alguma violência, não saia por aí julgando com um moralismo que não cabe aqui. As práticas são todas consentidas.

BDSM não é um fetiche. Na verdade, é um conjunto de fetiches interligados por seu grau de similaridade quanto à finalidade. Fetiche é tudo aquilo que é praticado junto ao sexo, ou seja, alguém pode adicionar fetiches ao BDSM.

Quer um exemplo? Apenas veja ao filme Ninfomaníaca Vol. II e você terá uma “bela” demonstração do que se trata.

BONDAGE E DISCIPLINA

Aqui a história é a seguinte: um é amarrado e o outro o disciplina. Simples assim. Mas, é claro, não vamos ficar apenas nessas palavras. O passivo pode ser amarrado de qualquer jeito, com cordas, correntes, tudo depende da criatividade dos praticantes.

Outros objetos como vendas e mordaças podem ser usados. Já viu aquela bola presa a uma corrente? Pois bem, outro “belo” exemplo.

Durante a disciplina, muitos passivos gostam de desobedecer à pessoa que está dominando, é algo que já faz parte da brincadeira. Por isso que se chama disciplina. Então, o dominador vai e dá o seu castigo.

Não precisa haver penetração para se caracterizar o quadro de bondage e disciplina. Claro que carícias ou outros toques eróticos serão introduzidos, mas, tudo isso aqui se trata de prazeres não convencionais. E o como o prazer está no cérebro, não há a necessidade de penetração.

DOMINAÇÃO E SUBMISSÃO

Já viu nos filmes, e não estou falando de filme pornô, aquele casal onde a mulher comanda e o rapaz se finge de cachorrinho obedecendo a tudo o que a madame falar? Pois bem. Um claro exemplo de dominação e submissão bem na sua televisão, no horário nobre com crianças na sala.

Um domina e o outro se submete. Muito fácil de entender. Pode se assemelhar um pouco à prática de bondage e disciplina, mas aqui não são utilizadas as cordas, ou melhor, a bandagem. A não ser que o ativo queira…

SADISMO E MASOQUISMO

Talvez essa seja uma das práticas de BDSM mais famosas. Quem não conhece os famosos chicotes pretos e finos utilizados durante o sexo? É algo que se alguém vir, já sabe o que é. O famoso sadomasoquismo, sempre proibido (que o diga o Marquês de Sade), geralmente não tem muita penetração.

Na verdade, aqui o prazer é sentido de outra forma: com dor. Digamos que este é um tipo de erotismo muito evoluído (alguns diriam que é o contrário, não sei, cada um com seu ponto de vista), que apenas um grupo de pessoas conseguiria praticar.

Bem, isso é verdade, apenas um grupo consegue praticar do jeito certo e sem remorsos. O fato é que as pessoas se machucam de verdade, o que pode ser maléfico para a saúde de quem o fizer.

E antes que alguém confunda alguma coisa, vamos às definições: o sadismo é gostar de ver alguém sendo machucado, sofrendo; o masoquismo é sentir prazer na dor, gostar de ser machucado. Entendeu? Nunca mais erre e chame alguém de sadomasoquista, quando na verdade a pessoa só gosta de assistir e causar dor.

Bom, agora que você sabe o que é cada fetiche do BDSM, pense se vale a pena praticar ou se isso não seria um tanto pesado para você. De qualquer forma, o importante é entender que no sexo vale tudo, desde que haja consentimento de ambas as partes.

Até a próxima!

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

    Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
    entre em contato com o suporte.